Nove primeiros do meses do ano com défice de 4,9% do PIB

Os dados divulgados esta quarta-feira pelo INE revelam que no terceiro trimestre a economia melhorou, retirando o défice dos dois dígitos.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, "o saldo das Administrações Públicas no terceiro trimestre de 2020 atingiu -1.975,6 milhões de euros (-3,8% do PIB, o que compara com -10,5% no trimestre anterior)", pode ler-se na nota do INE.

Nas "Contas Nacionais Trimestrais Por Setor Institucional" o INE considera que no "conjunto dos três primeiros trimestres de 2020, o saldo das Administrações Públicas fixou-se em -4,9% do PIB (0,7% em igual período de 2019)".

Em termos homólogos, "verificou-se um aumento da despesa total (+8,3%) e uma diminuição da receita total (-9,5%)", sublinha o INE.
Já a "taxa de poupança das Famílias aumentou em 0,3 pontos percentuais, para 10,8% do rendimento disponível, em consequência do aumento do rendimento e da variação nula da despesa de consumo, (-3,5% no trimestre anterior)".

TAP

Entretanto, através desta nota, o INE confirma que o empréstimo do Estado, de 1200 milhões de euros, para a TAP vai contar para o défice.

"O aumento da despesa de capital reflete o registo, com base na informação disponível, do apoio financeiro concedido pelo Estado à TAP, S.A. no valor de 1.200 milhões de euros como transferência de capital. Este montante corresponde ao valor total do compromisso assumido pelo Estado para financiamento da empresa, autorizado pela Comissão Europeia como auxílio de Estado, tendo em conta a situação de emergência financeira da empresa", revela o INE.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de