Novo Banco já recebeu os 112 milhões que faltavam da injecção de capital

O ministro João Leão tinha retido parte do pagamento do Fundo de Resolução depois de levantar dúvidas sobre a contabilização da dívida pública feita pelo banco.

O Fundo de Resolução já pagou os 112 milhões de euros que faltavam da injeção de capital, completando assim o valor total aprovado de 429 milhões de euros.

Em causa estavam as dúvidas suscitadas pela forma como o Novo Banco tinha contabilizado a dívida pública - o que resultaria num num aumento das necessidades de capital - que levaram o Ministro das Finanças a dar ordem de retenção de parte da verba devida.

Em comunicado enviado às redações, esta tarde, o Fundo de Resolução vem agora confirmar que, após a devida avaliação, foi libertada a tranche em falta. "Tendo sido obtidas as análises - do ponto de vista financeiro, económico, e também jurídico - consideradas indispensáveis para se formar o necessário esclarecimento quanto à questão suscitada em maio, resultou a conclusão unívoca de que é devido ao Novo Banco o pagamento de 112 milhões de euros", pode ler-se na nota.

No comunicado, este organismo sublinha que este pagamento "se encontrava já provisionado nas contas do Fundo de Resolução respeitantes a 2020, englobado no valor total da provisão de 429.012.629,00 euros", e que o total do que foi transferido para esta instituição bancária ficou 485 milhões abaixo do limite fixado contratualmente.

A expectativa, refere ainda o documento, é a de que este seja o último pagamento ao Novo Banco, "exceto no que possa eventualmente resultar dos litígios arbitrais pendentes". Se assim for, o total de verba transferida para o banco desde 2018 - altura em que foi vendido - fixar-se-á em 3.405 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de