Novo Banco só deverá recorrer ao capital do fundo de resolução em 2021

Esclarecimento do Novo Banco surge depois da entrevista do presidente do banco ao Jornal de Negócios e Antena 1. O Novo Banco refere que António Ramalho tem "vindo a ser erradamente interpretado".

O Novo Banco veio este domingo esclarecer que não vai recorrer ao mecanismo de capital contingente (CCA) em 2020, deixando para 2021 uma eventual nova chamada de capitais consoante os resultados do exercício de 2020.

Num comunicado enviado às redações, o banco liderado por António Ramalho indica que, "ao contrário do que tem vindo a ser erradamente interpretado por vários meios de comunicação social e outras fontes de informação", "qualquer eventual nova chamada de capital referente a necessidades de 2020, de acordo com o atual modelo, será feita em 2021, após aprovação das contas auditadas, após parecer da Comissão de Acompanhamento e verificadas com agente independente."

Em entrevista ao Jornal de Negócios e Antena 1, o presidente do Novo Banco, António Ramalho, afirmou que, por causa da pandemia, o banco vai precisar de mais dinheiro que o previsto para este ano. No entanto, o modelo em vigor prevê que, mesmo que para fazer face a necessidades de 2020, o eventual reforço de capital só será feito no ano seguinte.

O Novo Banco já pediu ao Fundo de Resolução perto de 2,9 mil milhões de euros de um total de 3,890 mil milhões previsto no negocio de venda do banco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de