Num ano, CGD perdeu 582 trabalhadores e uma agência em Portugal

No final de junho de 2019, número de empregados era de 7.503 pessoas, sendo de 6.921 no mesmo mês deste ano.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) contava no final do primeiro semestre de 2020 com menos 582 trabalhadores relativamente ao mesmo período do ano passado, contabilizando também menos uma agência, foi esta sexta-feira divulgado.

No comunicado emitido pelo banco no âmbito do anúncio dos resultados semestrais (lucro de 249 milhões de euros), pode ler-se que o número de empregados da atividade doméstica do grupo CGD no final de junho de 2019 era de 7.503 pessoas, sendo de 6.921 no mesmo mês deste ano.

Em termos de agências, em junho de 2019 a CGD contava com 552, incluindo 'espaços Caixa' e 'gabinetes de empresas - CGD Portugal', ao passo que no final do primeiro semestre deste ano o número era de 551.

A Caixa Geral de Depósitos registou lucros de 249 milhões de euros no primeiro semestre, uma diminuição de 41% face ao mesmo período do ano anterior, tendo constituído 156 milhões de euros de imparidades, divulgou hoje o banco público.

Em comunicado, o banco refere "um resultado extraordinário de 51 milhões de euros (depois de impostos) decorrentes de ganhos atuariais nas responsabilidades com benefícios pós emprego".

O banco público constituiu ainda 156 milhões de euros em imparidades de crédito e provisões para garantias bancárias como resultado dos efeitos da pandemia de Covid-19.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de