Pilotos da TAP reunidos com Governo. Doze trabalhadores em encontro com administração

A TSF sabe que reunião com a administração da companhia não vai servir para negociações, tendo apenas como objetivo esclarecer as dúvidas dos pilotos.

Os pilotos da TAP e o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, estão esta quinta-feira reunidos, depois de a companhia ter recusado a realização do plenário do Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil (SPAC), marcado para esta sexta-feira.

Paralelamente, sabe a TSF, a administração da TAP convocou os pilotos para uma reunião à qual compareceram 12 destes profissionais, indicou fonte sindical.

Fonte da companhia aérea não quis adiantar a hora desse encontro, mas assegura que não vai servir para negociações e sim para esclarecer os pilotos que possam ter algumas dúvidas.

A TAP anunciou esta quarta-feira que não permitia a realização do plenário convocado pelo SPAC, justificando que, nas atuais circunstâncias, poderia causar um dano insuportável na empresa e na imagem do país, num processo de recuperação da companhia aérea.

O sindicato convocou o encontro entre os seus trabalhadores para analisar a decisão unilateral da TAP, que pretende reduzir os cortes salariais em 10%, estando, também, em cima da mesa, a possibilidade de ser convocada uma greve.

Na carta enviada ao sindicato, a administração lembrou que a sobrevivência da empresa está dependente dos auxílios do Estado, que pressupõe um escrupuloso cumprimento do plano de reestruturação.

O plenário desta sexta-feira iria acontecer entre as 7h30 e as 10h30 da manhã, num período de tempo suficiente, pelas contas da empresa, para afetar 120 voos, correspondentes a 20 mil passageiros

A TAP alegou, ainda, que as reuniões plenárias não visam, nem podem ser utilizadas, para causar danos ou prejuízos à TAP, cujo funcionamento e sustentabilidade devem ser preservados.

Durante a reunião, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil contava com a presença de cerca de 400 pilotos.

No domingo, recorde-se, a TAP anunciou que vai reduzir em 10% o corte que os pilotos sofreram nos vencimentos. Só não terão cortes os salários até 1410 euros, uma espécie de salário mínimo na empresa. Mas, a partir daí, mantêm-se os cortes nos vencimentos a partir do final do mês e que devem abranger 82% dos trabalhadores da TAP.

Notícia atualizada às 18h22

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de