"Pontapé de saída para recuperação está dado"

Os ministros das finanças da União Europeia reúnem-se esta terça-feira por videoconferência.

O Ecofin reúne-se esta terça-feira para discutir a estratégia de recuperação da economia europeia e analisar as perspetivas macroeconómicas, numa altura em que o ambiente global é de "incerteza", apontou o ministro das Finanças, João Leão, convicto de que o dinheiro da chamada bazuca está agora "um passo mais perto de chegar à economia real".

"Foi dado um passo importante na semana passada. O presidente do Parlamento Europeu e o primeiro-ministro António Costa assinaram o regulamento deste plano, o que permite que a partir do final desta semana os planos nacionais de recuperação possam ser formalmente apresentados", afirmou, considerando tratar-se de "um grande feito".

"O pontapé de saída está dado, e agora é o momento de os Estados membros canalizarem toda a atenção para a apresentação de planos que promovam o crescimento sustentável e socialmente inclusivo", afirmou.

"Na reunião de hoje vamos dedicar-nos à recuperação económica da União Europeia que estará no topo da nossa agenda durante toda a presidência portuguesa", reiterou.

Os ministros começaram por fazer uma análise das perspetivas económicas para a Europa e para os diferentes Estados-Membros.

"Neste momento a Europa continua no meio de uma terceira vaga da pandemia muito intensa mas esperamos uma recuperação forte a economia já a partir da segunda metade de 2021", salientou João Leão, referindo-se às conclusões do boletim macroeconómico intercalar de inverno.

O ministro nota, porém, o ambiente de "incerteza global ainda muito elevada", obriga os governos a "permanecerem vigilantes". "Não podemos comprometer os esforços empreendidos até agora com uma retirada prematura das medidas de apoio".

Na reunião será também discutida a estratégia de angariação de 750 mil milhões de euros para financiar o fundo para a recuperação e resiliência NextGenerationEU. "Este financiamento comum a nível europeu representa não só um passo gigantesco para a recuperação económica mas também um enorme sinal de unidade e confiança no futuro da União Europeia", afirmou.

Sobre a realização do encontro virtual, o formato que tem prevalecido nos primeiros meses da presidência portuguesa da União Europeia, o ministro manifestou-se "confiante que com o progresso das campanhas de vacinação" em toda a Europa "em breve possamos retomar as nossas reuniões presenciais".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de