Por falta de pessoal, muitos restaurantes não vão acabar com os limites de mesas provocados pela pandemia

Empresários estão a ser aconselhados a reestruturarem os negócios. Os preços vão ter de aumentar.

A falta de mão-de-obra na restauração está a levar muitos restaurantes a não disponibilizarem mais mesas aos clientes.

O alerta é do presidente da Associação Nacional de Restaurantes (PRO.VAR) que explica à TSF que há mesmo "muitas" empresas que apesar do relaxamento das regras para travar a pandemia não estão a pensar aumentar o número de mesas.

Daniel Serra detalha que a falta de candidatos para trabalhar - nas mesas e nas cozinhas - é, a par da falta de liquidez, o maior problema hoje identificado pelos empresários, havendo mesmo casos de restaurantes que não deverão reabrir por causa desse novo fenómeno.

"São muitos mesmo os que estão a ponderar manter as salas com as limitações que tinham pois não têm pessoal. Para voltar à situação original antes da pandemia tinham de contratar pessoal e piorar o serviço pois esta é uma área de mão-de-obra intensiva em que mais 10% de faturação significa mais 10% de necessidade de mão-de-obra", detalha.

O representante da associação de restaurantes diz que "aquilo que estamos a aconselhar aos empresários é a fazerem reestruturações dos negócios para que no fundo melhorem o serviço e a qualidade, havendo um reposicionamento de preço".

O resultado desta falta de mão-de-obra tem sido um aumento dos salários que, "como é óbvio, se vai refletir" num aumento dos preços ao consumidor que já estão a subir com a subida dos preços das matérias-primas.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de