Preços em 2021 com "forte movimento ascendente", alerta o INE. Energia subiu mais de 7%

A inflação em Portugal fechou em 2021 nos 1,3%, de acordo com os dados esta quarta-feira disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O indicador revelador da inflação, "o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação média anual de 1,3%, sucedendo a uma variação nula registada no conjunto do ano de 2020", aponta o INE para a totalidade do ano 2021.

O INE sublinha que "excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação média situou-se em 0,8%".

A taxa de variação homóloga do IPC total "evidenciou um forte movimento ascendente ao longo de 2021, em particular na segunda metade do ano em que as variações observadas foram sempre superiores ao valor da média anual", justifica.

A variação média no segundo semestre de 2021 (1,9%) foi superior à do primeiro (0,6%). O INE diz que este valor reflete "direta ou indiretamente, os aumentos dos preços dos bens energéticos, em particular, dos combustíveis rodoviários".

Os preços dos produtos energéticos registaram variações médias anuais de 7,3% em 2021. Os preços dos produtos alimentares não transformados aumentaram 0,6% em 2021, abaixo do observado no ano anterior (4,0%).

Em 2021, por oposição a anos anteriores, observou-se um crescimento médio anual mais elevado dos preços dos bens que os dos serviços. Com efeito, em 2021, os preços dos bens aumentaram 1,7% enquanto a taxa de variação média dos preços dos serviços foi 0,6%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de