REN diz sim ao Governo e vai reforçar armazenamento de gás em cavernas

A empresa que gere o sistema elétrico nacional e o sistema nacional de gás vai criar mais duas grutas na região de Leiria.

A REN vai aumentar a capacidade de armazenamento do gás a nível subterrâneo. No plano ontem anunciado para acautelar a produção de energia, o executivo pediu à empresa para "assegurar o reforço da capacidade de armazenamento instalada em Portugal em, pelo menos, duas cavidades adicionais", com o objetivo de criar duas cavernas para conseguir armazenar mais gás.

Em Portugal, esse armazenamento é feito em seis cavernas há cerca de uma década em Leiria, na zona do Carriço. Em entrevista à TSF, o administrador executivo da REN João Faria Conceição garante que a empresa vai mesmo avançar com a criação de mais duas cavernas. "O investimento é grande", e pode rondar os 40 milhões de euros.

O tempo que a obra vai demorar está dependente do licenciamento. Tendo em conta a urgência da medida, o administrador executivo da REN espera que o governo seja tão breve quanto possível. "Vamos tentar fazer uma otimização na construção das duas cavernas", explica João Faria Conceição. O responsável da empresa espera que as cavernas estejam operacionais o mais tardar em 2025. "Sim, mas depende do processo de licenciamento", alerta.

O responsável da REN reconhece que há condições geológicas para construir mais cavernas de armazenamento de gás a nível subterrâneo noutras zonas do país. Mas há um senão a ter em conta. "As outras localizações não têm outra coisa que é fundamental. Não têm uma infraestrutura de gasodutos para ligar às cavernas", descreve João Faria Conceição. Sem os gasodutos, fica mais difícil conseguir armazenar e extrair o gás. A zona do Carriço tem a vantagem de ter a infraestrutura necessária para garantir esse processo. Por isso, para já, a REN continua a só olhar para a região de Leiria.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de