"Setor de exploração." Hotelaria protesta por melhores salários e condições de trabalho

Presidente do sindicato explicou que a hotelaria atravessa sérios problemas ao nível da contratação de profissionais.

A luta dos trabalhadores da hotelaria, turismo e restauração deslocou-se, esta segunda-feira, para Aveiro. Depois de um protesto no Porto, na semana passada, o sindicato da região Centro promoveu uma concentração na cidade dos moliceiros.

A melhoria dos salários e das condições de trabalho no setor marcou a iniciativa desta manhã junto dos clientes e funcionários. António Baião, presidente do sindicato, explicou que a hotelaria atravessa sérios problemas ao nível da contratação de profissionais.

"Os homens saem, vão fazer estágios, mas depois verificam que os horários são desregulados, penosos e não são compensados pelo trabalho aos sábados, domingos e feriados. Veem logo que este é um setor de exploração e que não lhes vai dar condições para uma profissão futura", denunciou à TSF António Baião.

A mão-de-obra qualificada foge da exploração, que, segundo o representante do sindicato, é prática recorrente no setor, especialmente envolvendo trabalhadores estrangeiros.

"São trabalhadores que servem para pressionar os salários mais baixos no setor em relação aos trabalhadores nacionais que estão a lutar por melhores condições, mas com a presença de trabalhadores estrangeiros, que vão trabalhar em condições mais precárias, o setor só tem a perder. Os trabalhadores estrangeiros fazem falta, mas têm de ter condições, serem bem recebidos e ter bons salários para ajudar a que o setor preste serviços de qualidade", acrescentou o presidente do sindicato.

A preocupação com estas condições, que estão a ser oferecidas a muitos imigrantes, é outra das denúncias. O sindicato já transmitiu ao Governo que está contra os corredores para imigrantes exigidos pelos patrões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de