Sindicato dos motoristas revoltado com palavras de António Costa

António Costa disse que greve revolta o país, declarações que segundo o sindicato não ajudam nada nas negociações para travar a greve.

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) garante que as palavras do primeiro-ministro sobre a greve marcada para começar a 12 de agosto estão a ter o efeito de revoltar os motoristas.

Depois de um período em silêncio sobre o tema, António Costa disse esta sexta-feira que "há um sentimento nacional de revolta" em relação à greve dos motoristas, classificando-a como "indesejável".

A reação de um dos sindicatos que convocou a greve foi rápida, com Pedro Pardal Henriques a dizer à TSF que aquilo que o primeiro-ministro disse não ajuda nada às negociações que recomeçam com o Governo na próxima segunda-feira.

"As entidades que deviam proteger os portugueses não o estão a fazer e estas palavras vieram revoltar mais os trabalhadores", afirma.

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas está convencido que as declarações de António Costa mostram que o poder político está ao lado do poder económico "contra tudo e contra todos".

"Para o senhor primeiro-ministro não contam os problemas que estes trabalhadores têm passado, as ilegalidades cometidas contra estes trabalhadores ao longo dos anos, nem a fraude fiscal gigantesca que existe ou as horas de trabalho que são obrigados a fazer ultrapassando todos os limites legais... Como também não contam os contratos assinados para desconvocar uma greve enganando os motoristas", defende o advogado e dirigente do sindicato.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de