Taxa de desemprego sobe para 6% no mês de janeiro

Desde 2013 que a taxa de desemprego não subia, "com exceção do período de junho a agosto de 2020", devido ao efeito da pandemia.

A taxa de desemprego subiu para 6% em janeiro, mais 0,2 pontos percentuais do que no mês anterior, mas menos um ponto percentual em termos homólogos, anunciou, esta quarta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo as estimativas mensais de emprego e desemprego, publicadas pelo INE, em janeiro, "a taxa de desemprego situou-se em 6,0%, mais 0,2 pontos percentuais do que no mês precedente, menos 0,4 pontos percentuais do que três meses antes e menos 1,0 p.p. do que um ano antes".

Há nove anos que a taxa de desemprego não subia, como aconteceu em janeiro de 2022. De acordo com o INE, "em janeiro de 2022, a população desempregada interrompeu a tendência decrescente observada desde janeiro de 2013, com exceção do período de junho a agosto de 2020", devido ao efeito da pandemia.

No mês em análise, a população ativa (5.184.100) diminuiu 0,2% em relação a dezembro, mas aumentou 0,3% comparativamente a outubro e 3,5% em relação a janeiro do ano passado.

No mesmo sentido, a população empregada (4.875.500) diminuiu 0,4% em relação ao mês anterior, mas aumentou 0,7% relativamente a três meses antes e 4,7% comparativamente a janeiro de 2021.

Já no sentido oposto, a população desempregada (308.600) aumentou em relação ao mês anterior (1,9%) e diminuiu relativamente a três meses antes (6,4%) e ao mês homólogo de 2021 (12,2%).

A população inativa (2.486.300) registou uma queda em relação aos três períodos de comparação: 0,1%, 1,1% e 6,8%, respetivamente.

Por fim, a taxa de subutilização de trabalho situou-se em 11,7%, em janeiro, o que representa um valor superior em 0,3 pontos percentuais ao de dezembro, igual ao de três meses antes e inferior em 2,3 pontos percentuais ao do mês homólogo do ano passado.

"Ainda em janeiro de 2022, a subutilização do trabalho abrangeu 625,4 mil pessoas, número superior ao do mês anterior (16,2 mil; 2,7%) e ao de três meses antes (3,0 mil; 0,5%), mas inferior ao do período homólogo (107,8 mil; 14,7%)", adianta o INE.

* com Lusa

Notícia atualizada às 11h35

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de