Ter cartão de multibanco custa mais 163% do que há dez anos

Um estudo da Deco Proteste, que analisou os preços dos principais produtos e serviços dos cinco maiores bancos nacionais, revela que os custos anuais associados aos cartões de débito foram os que sofreram um maior aumento.

Ter um cartão multibanco custa atualmente muito mais do que há dez anos. As contas são da Deco Proteste e estão esta terça-feira no Jornal de Notícias (JN).

A defesa do consumidor analisou os preços dos principais produtos e serviços dos cinco maiores bancos nacionais e chegou à conclusão que há um aumento significativo, sendo o maior deles todos no multibanco. Numa década, o preço médio de um cartão de débito aumentou 163%.

O JN escreve que o aumento dos custos anuais cuja responsabilidade é do consumidor foi, em média, de 47%, e os cartões de débito foram os que sofreram um maior aumento.

Citado pelo JN, o economista Nuno Rico, da Deco Proteste, sublinhou que a inflação não é justificação para estes aumentos, dando como exemplo o ano de 2021, em que a inflação ficou em 1,3%, e os aumentos para 2022 foram, em alguns produtos, na ordem dos 50%.

A Deco Proteste informa também que tem denunciado os aumentos dos custos cobrados pelos serviços prestados e pelos produtos disponibilizados aos consumidores. Segundo a associação de defesa do consumidor, hoje em dia, as receitas dos bancos provêm, em cerca de 40%, das comissões cobradas.

Em 2020, a Deco criou a iniciativa "Fim das Comissões abusivas para todos os créditos", uma medida que, desde janeiro de 2020, permitiu que o processamento das prestações dos contratos de crédito deixasse de estar sujeito ao pagamento de comissões.

* Notícia atualizada às 10h21

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de