Transportadoras de passageiros "desesperadas" com custos dos combustíveis

Cabaço Martins, da Associação Nacional de Transportes de Passageiros, diz receber todos os dias comunicações de colegas desesperados com a situação.

O presidente da Associação Nacional de Transportes de Passageiros (ANTROP) ​​​considera que este é o momento para adotar medidas estruturais para o setor. Cabaço Martins diz que as empresas transportadoras de passageiros estão a afogar-se em custos com os combustíveis que pesam cada vez mais nos custos destas empresas.

"Os custos com combustíveis representam mais de 30% dos custos totais das empresas de transporte público. Se nós estamos a assistir, comparando com 2020, a um agravamento médio superior a 20%, é uma fatura demasiado pesada. Estamos a calcular que este encargo esteja a pesar em cerca de 50 milhões de euros no conjunto das empresas", sustenta em entrevista à TSF.

Cabaço Martins sublinha que "estamos numa fase final de pandemia, mas completamente descapitalizados".

"Levarmos com este agravamento está a tornar-se insustentável. Todos os dias recebo comunicações e telefonemas de colegas meus desesperados com a situação", remata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de