"Uma desilusão." Confederação do Comércio e Serviços esperava mais apoios ao setor

João Vieira Lopes só tem expectativa quanto ao apoio prometido às rendas comerciais.

O presidente da Confederação do Comércio e Serviços esperava mais do Governo. João Vieira Lopes confessa, em entrevista à TSF, ter ficado desiludido, uma vez que esperava mais apoios para um setor que desde março sofre os efeitos da pandemia, sublinhando que a maior parte das medidas anunciadas já estavam em vigor.

"As medidas que o senhor primeiro-ministro apresentou para nós foram uma desilusão, porque o senhor-primeiro-ministro apresentou cinco medidas, três já estavam em vigor, portanto, não temos novidade nenhuma e pensamos que - como é previsível que os efeitos da pandemia se estendam por vários meses - essas medidas anunciadas são positivas, mas insuficientes", sustenta.

João Vieira Lopes só tem expectativa quanto ao apoio prometido às rendas comerciais: "Eu diria que a única novidade de uma área que nunca tinha sido abrangida é também uma velha reivindicação para que haja algum apoio às rendas comerciais, porque as rendas comerciais são um custo fixo, principalmente para os comerciantes que começaram o negócio nos últimos anos, quando apanharam as rendas já bastante altas."

Quanto à fiscalização que vai ser feita pela autoridade para as condições de trabalho às empresas para verificar se estão ou não a cumprir o teletrabalho, João Vieira Lopes pede bom senso, admitindo que não consegue garantir que a medida esteja a ser cumprida.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de