Uma maratona de inovação para salvar os oceanos

Dos mesmos criadores do Inovathom, que anda por aí desde 2019, chega um desafio para 150 jovens de todo o mundo. É um aperitivo para a Conferência das Nações Unidas dobre os Oceanos.

O Inovathom, criado em 2019 por Gualter Crisóstomo e pelo CEiiA, replica no próximo fim de semana, a ideia de ter jovens reunidos em grupo, para desenvolver ideias que contribuam para salvar o planeta.

Ideias que podem, ou não, chegar a ser um negócio, se o júri da maratona, assim entender.

Nesta edição participam 150 jovens de todo o mundo, de todas as crenças e de todas as regiões.

Têm 24 horas para dar substância a uma ideia que devem resolver problemas ligados aos portos e aos transportes marítimos, à alimentação, ao mapeamento e há vigilância dos oceanos, às energias renováveis, e à poluição marinha.

Gualter Crisóstomo antecipa que a diversidade de origens destes jovens ajude a responder de maneiras diferentes a alguns dos problemas apresentados.

O cocriador do Inovathom, admite que fazer dinheiro não é a primeira prioridade destes jovens.

Durante as 24 horas da maratona tecnológica, no campus da Nova SBE, em Carcavelos, hão-de passar pelo recinto, o secretário-geral da ONU, António Guterres, os presidentes de Portugal e do Quénia, respetivamente Marcelo Rebelo de Sousa e Uhuru Kenyatta, ou o ator Jason Mamoa, o super-herói Aquaman do cinema.

Um super-herói que vai passar por Lisboa para inspirar o mundo a encontrar a cura para a doença dos Oceanos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de