Vem aí o primeiro avião totalmente construído em Portugal

A nova aeronave ATL-100 vai ser montada em território alentejano. Construção deverá criar 1200 empregos na região.

Até final do ano, são esperados os primeiros 50 engenheiros dos 1200 postos de trabalho previstos, com a criação de uma unidade industrial para montar da primeira à última peça, a nova aeronave ATL-100, em Évora.

O processo de recrutamento de licenciados em engenharia ainda está em curso, mas à equipa de especialistas do CEiiA vão juntar-se outros tantos profissionais da DESAER, parceira brasileira do Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, sediado em Matosinhos, neste projeto.

A fase de desenho do produto dá agora lugar ao arranque do processo de industrialização de um aparelho para operar no mercado de curta distância, com capacidade máxima de 19 passageiros e peso de 2,5 toneladas.

De acordo com Miguel Braga, responsável pela área de Aeronáutica e Defesa na direção do CEiiA, a localização da fábrica vai permitir envolver no projeto mais de 30 empresas ligadas ao setor, que já trabalham no eixo das cidades alentejanas de Ponte de Sor, Beja e Évora, podendo potenciar o negócio e criar pelo menos 1200 postos de trabalho.

O projeto, com um investimento inicial de 20 milhões de euros, terá duas fontes de financiamento, pública e privada, através de fundos comunitários alocados à área da ciência, tecnologia, investigação e desenvolvimento, e de fundos próprios do consórcio.

Espera-se que o primeiro avião totalmente construído em Portugal esteja pronto a entrar no mercado num prazo de cinco anos.

"Com este programa, queremos reforçar de forma definitiva aquele que é o Polo aeronáutico nacional em Évora, com o desenvolvimento de um programa completo e inovador que nos permite criar um novo integrador a partir de Portugal, para a industrialização e operação de aeronaves de nova geração", afirma ainda Miguel Braga.

Já Roberto Figueiredo, acionista da DESAER, considera que "esta parceria, que agrega competências complementares do setor aeroespacial de Portugal e do Brasil, além de ser um importante projeto de inovação tecnológica e de criação de emprego em ambos os países, assume ainda mais relevância num contexto de crise do setor provocado pela pandemia Covid-19".

O lançamento do projeto, esta sexta-feira, em Évora, no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia, contou com a presença da ministra da Coesão Social e do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de