Graça Moura entende que adiamento de acordo ortográfico é «lampejo de bom senso»

Vasco Graça Moura considerou um «lampejo de bom senso» a atitude da ministra da Educação de adiar a entrada em vigor do acordo ortográfico nas escolas. À TSF, o escritor considerou que este e o anterior Governo não têm estado bem nesta matéria.

Vasco Graça Moura considerou que a decisão da ministra da Educação de adiar a entrada em vigor do acordo ortográfico nas escolas é um «lampejo de bom senso que chega finalmente a um Governo que só tem feito asneira nesta matéria».

Para este crítico do acordo ortográfico, o «anterior Governo introduziu o descalabro na ortografia portuguesa ou tentou introduzir, mas não conseguiu e fartou-se patrocinar uma série de asneiras relativamente» a esta questão.

Ouvido pela TSF, Graça Moura assinalou ainda que no presente Governo as coisas também já não estavam a correr bem, numa altura em que estava confiado ao ministro dos Negócios Estrangeiros uma «espécie de coordenação das políticas relativas à língua portuguesa».

«Já tinha começado a meter água quando a ministra da Cultura veio dizer que ia já aceitar a entrada em vigor em Janeiro próximo», acrescentou este escritor e tradutor, que se congratulou com a atitude da ministra da Educação.

Para Graça Moura, Isabel Alçada, que é «experiente nestas matérias», lembrou que não tinha sido definida uma meta para a estratégia existente e que ainda faltava fazer um trabalho com os restantes parceiros.

«Espero que este trabalho com os parceiros também acabe por incluir uma revisão desta enormidade que chama acordo ortográfico», concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de