Ensino Superior

Governo ordenou encerramento da Universidade Moderna

O Ministro do Ensino Superior ordenou, esta sexta-feira, o encerramento da Universidade Moderna, por questões de inviabilidade económica. A TSF sabe que a direcção da instituição vai pedir em tribunal a suspensão da decisão governamental.

Mariano Gago enviou, esta sexta-feira, um comunicado à Universidade Moderna, ordenando o encerramento do estabelecimento de ensino por «questões de inviabilidade económica».

A tutela notificou a 30 de Julho a Universidade Moderna e a Dinensino da decisão de encerrar compulsivamente a instituição por falta de viabilidade económica, grave degradação institucional e incumprimento de requisitos de funcionamento nos «denominados “estabelecimentos de ensino superior” de Setúbal e de Beja», ao nível institucional e pedagógico.
 
A Universidade teve até 10 de Setembro para contestar esta decisão do ministro Mariano Gago.

Em conferência de imprensa ao final da tarde desta sexta-feira, o ministro disse que o período de recurso dado à instituição foi amplamente esgotado, sendo que a documentação apresentada pela Dinensino não acrescentou em nada aos documentos disponibilizados há um ano.

Mariano Gago garantiu que os alunos daquela instituição vão poder prosseguir os estudos noutros estabelecimentos de ensino, privados ou públicos, e que a Universidade Moderna deverá facilitar todo esse processo.

Além disso, acrescentou, o Ministro do Ensino Superior também vai garantir o diálogo entre todas as entidades envolvidas nesse processo de transferência.

Perante esta decisão, a Universidade Moderna vai segunda-feira apresentar, no Tribunal Administrativo de Lisboa, «um pedido de suspensão da eficácia da decisão do ministro», sabe a TSF.
 
A universidade vai manter-se encerrada até haver uma decisão do pedido feito junto do tribunal.

  COMENTÁRIOS