Portugal

CGTP e UGT desmentem Artur Baptista da Silva

Na entrevista que deu à TSF, Artur Baptista da Silva disse ter apresentado aos parceiros sociais o relatório produzido por ele e mais sete economistas de um alegado observatório das Nações Unidas, garantindo que o relatório foi bem recebido e que alguns dos parceiros se manifestaram mesmo disponíveis para assinar a proposta. A TSF foi tentar perceber como foram esses encontros.

A CGTP foi contactada por Artur Baptista da Silva através de e-mail para ser recebido com caráter de urgência. O tema era a crise económica em Portugal.

PUB

Ouvido pela TSF, Augusto Praça, responsável pelas relações internacionais da CGTP, explicou o que se passou nesse encontro.

Na entrevista à TSF, Artur Baptista da Silva afirmou que uma central sindical lhe terá dito que «se estiverem interessados, nós estamos disponíveis para assinar a vossa proposta, subscrever aquela que pensam que será a solução».

No entanto, em declarações à TSF, Augusto Praça disse que nunca subscreveu nada.

Também o secretário-geral da UGT, contactado pela TSF, confirmou que recebeu Artur Baptista da Silva para uma conversa sobre a atual situação do país.

João Proença disse que Artur Baptista da Silva lhe entregou um documento, com cerca de 20 páginas, com ideias soltas e que em nada lhe pareceu tratar-se de um estudo, apenas uma compilação de ideias que poderiam servir para uma discussão sobre questões económicas.

De igual modo, a Confederação do Comércio e Serviços recebeu Artur Baptista da Silva. João Vieira Lopes revelou à TSF que recebeu em mão algumas páginas sobre a crise em portugal e que o convidou para uma conferência no grémio literário.

Ouvido igualmente pela TSF, o bastonario da Ordem dos Economistas disse não conhecer Artur Baptista da Silva nem nunca ouviu falar de tal nome.