Falta causa mobilizadora aos portugueses, dizem pensadores

No Fórum da TSF, um filósofo, um historiador e um sociólogo refletiram sobre a greve geral de quinta-feira e chegaram à conclusão de que não pode declarar-se vitória para nenhum dos lados envolvidos. A falta de uma causa mobilizadora foi a ideia comum.

Os portugueses não estão acomodados, mas falta-lhes esperança, uma causa que os motive, disse o filósofo José Gil.

«Estamos em estado de sobrevivência, o que significa ausência de esperança, de dimensão do futuro e isso é terrível», sublinhou.

Já o historiador Amadeu Carvalho Homem considerou que a sociedade portuguesa está demasiado corporatizada, não existindo uma ideia global do país.

Por seu turno, o sociólogo Manuel Villaverde Cabral acrescentou que as pessoas sentem que não vale a pena fazer greve, sublinhando que o sacrifício até acaba por prejudicar.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de