Portugal

Luísa Salgueiro destaca trabalho das energias renováveis na Nato

A primeira mulher portuguesa a assumir uma posição de direcção na Aliança Atlântica, o de vice-presidente da Comissão de Energia e Segurança Ambiental, disse à TSF que, com esta eleição, Portugal vê reconhecido o seu trabalho nas energias renováveis.

Na preparação da Cimeira da Nato, a TSF falou com a primeira mulher portuguesa que, terça-feira, será empossada num cargo de direcção num órgão da Aliança Atlântica.

Luísa Salgueiro foi eleita vice-presidente da Comissão de Energia e Segurança Ambiental, uma das cinco comissões parlamentares da Nato vocacionada para as questões do bioterrorismo e das energias alternativas.

Ouvida pela TSF, a responsável disse que com esta eleição, Portugal obtém influência no seio da Nato e o país vê reconhecido o seu trabalho nas energias renováveis.

«É, sem dúvida, uma das áreas prioritárias, neste momento, em termos de articulação das políticas dos parceiros da Aliança, para além de ter assumido, dentro da própria assembleia parlamentar da Nato, um papel prioritário, uma vez que estas questões estão, cada vez mais, na agenda política dos membros da Aliança», considerou.

No entender de Luísa Salgueiro, «Portugal, ao ter uma participação de relevo na comissão que trata destes assuntos e ao ser considerado um exemplo em termos de energias renováveis, tem a possibilidade de estar mais presente nas discussões e influenciar a tomada de decisão política ao nível transatlântico».