Portugal

«Ninguém aconselhou portugueses a emigrar», diz Passos Coelho

Num encontro com emigrantes portugueses em Paris, o chefe do Governo considerou que a necessidade de emigrar não deve ser considerada como um estigma.

O primeiro-ministro defendeu, esta quinta-feira, que o Governo deve dar o apoio possível a quem decide emigrar e sublinhou que «ninguém aconselhou os portugueses a emigrar».

«Quando ocorre de forma mais massiva, a emigração expressa sempre uma situação de défice e de não solução interna na economia que o origina», adiantou Passos Coelho, durante um encontro com emigrantes portugueses em Paris.

Dado que em Portugal se vivem tempos de recessão económica, Passos Coelho notou que «muitos portugueses não encontram em Portugal as oportunidades de realização profissional e de emprego de que dependem também para poderem satisfazer as suas necessidades familiares».

«Não vejo que deva ser um estigma para uma pessoa que procura uma solução a necessidade de emigrar. Devemos prestar todo o apoio possível, mas estamos a trabalhar para que a situação que impele as pessoas a sair do país e encontrar oportunidades possa ser ultrapassada», adiantou.

  COMENTÁRIOS