medidas de austeridade

Novas medidas de apoio às famílias e grávidas são «anti-sociais», diz CDS

O CDS-PP está contra as mudanças nos apoios às grávidas e abonos de família e insiste na revogação destas medidas que considera serem «anti-sociais».

No entender do líder parlamentar do CDS-PP, «quando, ao mesmo tempo, se retira o abono de família, se retira um conjunto de apoios na acção social escolar, se retiram balsas de estudo e obrigam as famílias a pagar mais de impostos, há uma sustentabilidade a longo prazo da segurança social, dos sistemas sociais que é posto em causa».

PUB

Por isso, sublinhou Pedro Mota Soares, o CDS «apresentou no Parlamento uma apreciação para revogar os aspectos mais negativos dessa legislação».

Para Pedro Mota Soares, as novas medidas de apoio às famílias e grávidas são «anti-sociais, anti-família e anti-natalidade».

Por seu turno, a secretária-geral da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas, Ana Cid, disse à TSF que estas medidas «vão aumentar a pobreza».

Já José Vaz e Gala, da Confederação das Associações de Família, apelou ao Governo para criar um subsídio às mães que ficam em casa para tomar conta dos filhos como contrapartida aos cortes nos abonos de família.