Estado

Reforma do Estado vai levar muitos meses, diz Cavaco

Cavaco Silva afirmou hoje que uma «reforma profunda» das funções do Estado deverá levar «muitos meses». Cavaco Silva comentou também a proposta de um dos subsídios ser pago em duodécimos.

Não é algo que se consiga fazer em três meses, antes da próxima avaliação da troika. Nessa altura, o Governo há-de propor apenas cortes, referiu esta quarta-feira Cavaco Silva, acrescentando que uma reforma profunda do Estado há-de levar muito mais tempo.

Cavaco já disse que toda a sociedade deve ser chamada a pronunciar-se sobre quais devem ser as funções do Estado.

«Essa é uma matéria que levará muito tempo a ser debatida, se se quiser fazer alteração profunda na gestão dos recursos disponíveis», frisou.

O Presidente da República explicou a ideia lembrando que «todos os orçamentos fazem reafetação de fundos» e que «isso é sempre uma reforma das funções do Estado». Mas agora, sugeriu, «o que está em causa é algo mais profundo».

Cavaco Silva falava aos jornalistas no final da cerimónia de entrega dos prémios COTEC e, nessa altura foi questionado também sobre a proposta para pagar um dos subsídios em duodécimos.

Congratulando-se com o facto dessa possibilidade estar a ser discutida entre os parceiros sociais, o chefe de Estado aproveitou para lembrar que é importante o diálogo não apenas nessa, como noutras matérias: «Se for encontrado consenso na concertação social temos maior possibilidade de voltar a uma trajetória de algum crescimento económico e da criação de emprego».

  COMENTÁRIOS