«Uma máquina fotográfica não é uma arma», diz antigo ministro

O socialista e ex-ministro da Justiça, Alberto Martins, criticou hoje o comportamento da PSP e as agressões a dois fotojornalistas durante a greve geral.

No final de uma visita do secretário-geral do PS ao distrito do Porto, Alberto Martins afirmou que «num Estado de direito, o direito de manifestação e a liberdade de imprensa são dois valores fundamentais», devendo ser respeitados.

«Uma máquina fotográfica não é uma arma e por isso tem que haver proporcionalidade no uso dos meios por parte da força pública. Pelo que, o Partido Socialista espera que o Governo apure as responsabilidades porque nós vivemos numa democracia e num Estado de Direito e estes valores são valores essenciais», disse.

Questionado sobre se o PS iria chamar o ministro da Administração Interna ao Parlamento, Alberto Martins reiterou que o partido espera que «o Governo assuma as responsabilidades que lhe cabem no esclarecimento público desta situação», devendo «tirar as consequências do que se passou».

Interrogado sobre se o Governo poderá ter responsabilidades diretas, o socialista foi perentório: «o Governo tem sempre responsabilidades em tudo o que se passa na ordem pública do nosso país e portanto saberá assumi-las seguramente».

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de