SCUT

Utentes do Interior prometem luta contra as portagens

A comissão de utentes das auto-estradas do Interior promete luta contra as portagens que começaram esta quinta-feira a ser cobradas nas antigas SCUT e vai levar o assunto a tribunal.

A cobrança de portagens é uma realidade, reconheceu a Comissão de Utentes das auto-estradas do Interior, avisando que perdeu uma batalha mas não a guerra, pelo que a luta contra as portagens está para durar.

«Perdemos este jogo porque quem está a passar por esta auto-estrada já está a pagar portagens, mas não perdemos o campeonato. Isto está para dar e levar», garantiu Francisco Almeida.

Francisco Almeida advertiu que vêm aí novos protestos e adiantou que a comissão vai aconselhar automobilistas e empresas de camionagem a usar as estradas nacionais para demonstrar que não são alternativa a quem circula na A25.

Este represente da comissão de utentes antecipou «um ou dois dias de luta e protesto na região», que impliquem «a circulação de pessoas e as empresas pela estrada nacional n.º 16 durante um dia».

Os empresários de camionagem mostraram-se solidários com a luta da comissão de utentes, mas avisaram que pouco podem fazer a não ser despedir pessoal e reduzir a frota.

Jorge Lemos, proprietário de uma das transportadoras da orla da A25, explicou que «neste momento» não é possível transmitir o valor das portagens para os clientes.

«Já ponderei» e «provavelmente diminuirei a frota em cerca de 20 por cento, com os despedimentos inerentes», lamentou.

Também Júlio Fernandes, da Patinter, a maior transportadora nacional, antecipa despedimentos. «Não podemos manter pessoas sem estarem a trabalhar», justificou.

A comissão de utentes vai voltar aos protestos e prepara-se para apresentar nos tribunais uma queixa contra o Estado português para travar a introdução de portagens.

  COMENTÁRIOS