Abusos sexuais. Marcelo diz que igreja tem de antecipar "apuramento da verdade" para não ir "apodrecendo"

Presidente da República recebeu a Comissão Independente que está a fazer o levantamento de abusos sexuais na igreja em Portugal.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, esta sexta-feira, a Comissão Independente criada pela Igreja para fazer levantamento de abusos sexuais no país e deixou um recado à Igreja Católica.

"Há setores que resistem mais por comportamentos, práticas e rotinas, mas é um erro não perceberem que para a sociedade como um todo e para as instituições o que é salutar e bom é anteciparem-se no apuramento da verdade, anteciparem-se na transparência. Isso é que dá vida às instituições. Se não o fizerem vão apodrecendo", alertou Marcelo.

Além disso, confessou ter ficado impressionado com o facto de nenhuma das vítimas pedir indemnizações.

"Uma das coisas que me impressionou foi a comissão dizer que ninguém fala em indemnizações, não é essa a preocupação. Querem uma assunção de responsabilidades por aquilo que terá acontecido. Dou um imenso valor a esta comissão. Não há como não agradecer à comissão pelo trabalho que, com poucos elementos, tem feito", explicou Marcelo.

Falando diretamente aos portugueses, pediu para que não tenham medo de denunciar, sublinhando a importância do testemunho de cada um. Apelou a que testemunhem e utilizem o direito à denúncia.

"A comissão desbloqueou, em termos de mentalidade, e faz um trabalho que prepara a intervenção da justiça. De outra forma teria sido mais difícil para as pessoas ultrapassar os seus fantasmas, do passado longínquo ou recente. Testemunhem, utilizem o direito à denúncia, mas se querem testemunhar num quadro anónimo perante especialistas têm a comissão. Se querem seguir o caminho direto de recurso à justiça, têm o recurso à justiça", pediu o Presidente da República.

Na audiência estiveram presentes o presidente da Comissão, o pedopsiquiatra Pedro Strecht, e outros dois membros: a socióloga Ana Nunes de Almeida e a assistente social e terapeuta familiar Filipa Tavares.

A audiência decorreu no mesmo dia em que o cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, foi recebido pelo Papa Francisco a propósito dos acontecimentos das últimas semanas, relacionados com suspeitas de abusos de menores na igreja em Portugal, revelou o Patriarcado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de