Alberto João Jardim "tem razão". "Cabe a um partido como o PSD acentuar a sua oposição"

O presidente do PSD, Rui Rio, considera que as declarações de Alberto João Jardim "são um ponto de vista que merece respeito e ponderação".

O presidente do PSD, Rui Rio, afirmou esta segunda-feira que Alberto João Jardim é uma pessoa que "respeita e estima" e reconhece que "há coisas que ele diz que têm razão de ser".

"Estamos numa fase de degradação acentuada da governação em Portugal e compete a um partido da oposição acentuar a sua posição", disse, acrescentando que as declarações de Alberto João Jardim "são um ponto de vista que merece respeito e ponderação".

Em causa, um artigo de opinião em que o antigo presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, defende que o PSD nacional tem de "acordar" e "mudar já" e "não esperar pelos resultados das eleições autárquicas".

À saída do museu do Holocausto, Rui Rio assegurou que a visita à instituição já estava agendada, não estando relacionada com as tensões na faixa de Gaza. O líder do PSD adianta que o partido vai apresentar esta segunda-feira um projeto de resolução na Assembleia da República, defendendo o cessar-fogo entre Israel e a Palestina.

Relativamente a mudanças na liderança do partido, Rui Rio referiu que "o posicionamento do PSD tem de ser ajustado com aquilo que são as circunstâncias de cada momento". "Vamos apontando os erros e as alternativas àquilo que deve ser feito", considerou.

Sobre a reforma das Forças Armadas, o líder do PSD disse que "o que está em causa da parte do PSD é uma questão de coerência", sob pena de amanhã ser o PSD a tentar fazer uma reforma e o PS a votar contra porque foi apresentada pelos sociais-democratas.

Rio admite que a contestação por parte de 28 antigos chefes militares "dá que pensar, porque pessoas altamente respeitáveis que conhecem bem as Forças Armadas". "Temos de ponderar tudo aquilo que os chefes militares dizem a começar pelo general Ramalho Eanes. Isso vai ser tido em linha de conta no debate da especialidade", afirmou, acrescentando que "vão ser analisados os ajustamentos que serão precisos fazer".

"Não podemos é entrar em contradição, até porque isso é mau para a credibilidade política", defendeu.

O presidente do PSD disse ainda que aquilo que aconteceu nos festejos do Sporting "foi outra falha do Governo". Para Rui Rio, o ministro da Administração Interna "acumula falhas atrás de falhas" e a ministra da Justiça "é de uma inação completa".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de