Albuquerque diz que deputados madeirenses do PSD no Parlamento podem viabilizar OE

Miguel Albuquerque alega que, em caso de verem satisfeitas as reivindicações do PSD/M, os deputados no Parlamento não terão "qualquer problema" em aprovar o Orçamento.

O presidente da estrutura regional do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, disse esta sexta-feira que os três deputados na Assembleia da República poderão votar o Orçamento do Estado caso as reivindicações da região estejam asseguradas.

"O Orçamento do Estado pode depender do PSD/M e apenas de uma coisa: é das justas reivindicações da Madeira serem satisfeitas pelo poder central. Nós temos que olhar para o Orçamento em função dos interesses da região e nós confiamos, como sempre dissemos, a nossa votação em função daquilo que são os legítimos direitos do povo madeirense", disse no jantar de natal dos sociais-democratas.

"O mesmo é dizer que se a concretização das nossas reivindicações estiver assegurada, nós não temos qualquer problema em aprovar o Orçamento do Estado para 2020", precisou o líder do PSD/M.

Fonte oficial do PSD Madeira confirmou à TSF que já aconteceram duas reuniões para ponderar esta hipótese. A primeira decorreu a 20 de novembro e contou com a presença de Mário Centeno, além de Miguel Albuquerque e António Costa.

Em troca dos três votos, a Madeira quer ver inscritos no OE para 2020 o financiamento do novo hospital da região, taxas de juro indexadas à taxa média dos empréstimos do Estado, passagens aéreas para o continente a 86 euros e apoios para uma ligação marítima entre Funchal e Lisboa.

Para Miguel Albuquerque, "em primeiro lugar está a Madeira, estão os madeirenses e porto-santenses, em segundo lugar está a nossa autonomia política, em terceiro lugar está a defesa do desenvolvimento da região e, só em quarto lugar, está a defesa do partido, quer no quadro nacional, quer no quadro regional".

"Nós [PSD/M] estamos, aqui, para servir os madeirenses e porto-santenses", disse.

Agradecendo o trabalho dos militantes e simpatizantes e as três vitórias deste ano [europeias, regionais e nacionais], o presidente da estrutura regional do PSD/M considerou que a luta continua em prol das reivindicações e necessidades do povo do arquipélago.

"Nós não nos vergamos a ninguém, e a luta continua, seja lá contra quem for. O nosso combate continua a ser um combate pelos madeirenses, pelas novas gerações de madeirenses e porto-santenses, pela defesa da nossa autonomia, pelo alargamento dos nossos poderes, pela emancipação da Madeira e pela nossa liberdade de decisão", sublinhou, reforçando que "o segredo do PSD/M - um Partido que é dos Militantes - reside, precisamente, em saber olhar o seu passado como um exemplo, o seu presente como um momento de luta e perspetivar o futuro com uma linha de rumo que não se altera em função das circunstâncias nem das modas do politicamente correto".

O secretário-geral do PSD/M, José Prada, referiu, por seu lado, que o partido vai voltar a ser o "partido com mais câmaras na região" em 2021.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de