A "menina" Catarina Martins saltou da televisão para a Feira da Estela

No Norte do país, a coordenadora do Bloco de Esquerda deixa logo de ser a dirigente partidária e vira a "menina", a mesma que "dá na televisão".

PorTSF com Lusa
© Manuel de Almeida/Lusa

À chegada ao Norte, a líder bloquista, Catarina Martins vira a "menina" que este domingo de manhã saltou da "caixinha da televisão" para a Feira da Estela, onde recebeu o reconhecimento popular e diferentes lamentos dos problemas de uma vida.

À habitual azáfama da Feira da Estela, na Póvoa do Varzim, distrito do Porto, entre compras, sacos, trocos e até música, juntaram-se esta manhã as bandeiras, os panfletos, a comitiva e os jornalistas que acompanham a caravana autárquica do BE nestas eleições autárquicas.

Na frente, Catarina Martins, que no Norte do país deixa logo de ser a dirigente partidária e vira a "menina", a mesma que "dá na televisão".

Ouça o resumo da ida de Catarina Martins à Feira da Estela

Your browser doesn’t support HTML5 audio

"É preciso lutar e saber lutar. Você é uma lutadora. Não há dúvida nenhuma que está de parabéns", ouviu, logo à chegada, num primeiro encontro que fazia antecipar uma receção calorosa.

Com os panfletos da candidatura local, mas sem brindes - "camisola não temos. Temos as ideias para o concelho", ia dizendo Catarina - a líder do BE encontrou pessoas de Gondomar, Felgueiras, Vila do Conde ou de Esposende.

"Ai é a menina! Eu não estava a ver, só quando olhou com esses olhos bonitos é que a reconheci", disse-lhe uma senhora, provocando risos na comitiva.

Mas foi também de política que se fez esta visita e, no meio de roupas para vender, uma inesperada manifestação de um vendedor de Gondomar que mereceu imediata concordância de Catarina Martins: "Menina, o voto na esquerda é o voto útil".

A "menina" tinha virado para uma outra ala da feira, mas um vendedor reclamava a presença da líder do BE: "Eu pensei que nós não éramos gente deste lado".

"Não sou Bloco, eu faço parte do PSD, mas respeito toda a gente igual", atirou, quando Catarina se aproximou.

Outro corredor de bancas e mais um encontro de quem conhece Catarina Martins "tão bem" e acha que a líder do BE "fala muito bem", com queixas sobre as baixas pensões.

"Sabe quem é que tem pensões mais baixas em Portugal? São as mulheres. É uma injustiça", afirmou Catarina Martins, que depois foi "à sua vida" com promessas da senhora de que levaria o seu voto.

Mais uns passos, mais uns panfletos e nova paragem com um pedido para o BE fazer com que as reformas aumentem "que estão muito baixinhas" porque o "marido recebe muito pouquinho dinheiro".

"Ui, estás a falar na vida dos outros", respondeu prontamente o marido.

No final da visita - e rodeada de muitos populares que estavam muito atentos às declarações aos jornalistas de Catarina Martins -- a coordenadora do BE foi questionada sobre o que ouviu nesta feira.

"Ouço quem esteja muito triste com o facto de não ver os seus problemas resolvidos, também ouço muita gente que reconhece que o BE luta por quem está mais frágil, por quem tem menos e ter esse reconhecimento popular é para nós também importante e é um incentivo que registo e este carinho é também muito importante para o nosso trabalho", disse.

Visita terminada e tempo de abalar porque a campanha segue dentro de momentos no Porto.

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG