Costa coloca Portugal "no centro" da reindustrialização da Europa

O primeiro-ministro vai visitar Hannover, "para a maior feira de indústria do mundo", que vai contar com empresários portugueses.

PorFrancisco Nascimento
© Igor Martins/Global Imagens

António Costa sublinha que Portugal tem "condições únicas" para se assumir como líder na reindustrialização da Europa. O país é "a porta de entrada" no continente europeu e, ao contrário do que dizem, "não é periférico".

O primeiro-ministro falou perante uma plateia de empresários, em Sintra, antes da maior feira de indústria do mundo, que vai decorrer no domingo em Hannover, na Alemanha. António Costa garante que a Europa aprendeu com as últimas crises.

"A Europa compreendeu, finalmente, que não pode ter deslocalizado para outras localizações do mundo, grande parte da sua atividade industrial. O risco de disrupção é muito elevado", sublinha.

Ouça aqui a reportagem da TSF

Your browser doesn’t support HTML5 audio

O primeiro-ministro acrescenta que Portugal "deixou de ser periférico" na relocalização do mercado global, já que "não nos medimos em função do centro da Europa".

"Medimo-nos por ser o interface, como sempre fomos, da Europa para o resto do mundo", diz.

E o porto de Sines pode ter um contributo fundamental, neste caso, para responder à dependência de gás da Rússia. O ministro da Economia e do Mar, Costa Silva diz mesmo que Portugal pode marcar uma nova era.

"Com a liderança do primeiro-ministro, temos o projeto para converter o porto de Sines num hub de receção dos gás natural liquefeito e fazer o transporte de navios para o Norte da Europa. Poderá marcar uma nova idade e colocar Sines no mapa nas interconexões internacionais", atira.

Mas também nas energias renováveis, Portugal pode liderar no espaço europeu, já que a Comissão Europeia define Portugal "como o país em melhores condições para a neutralidade carbónica" até 2050. Além disso, "somos o quarto país mais seguro do mundo".

"A Europa tem um problema urgente de segurança energética e Portugal tem um potencial imenso a nível de energias renováveis. É um dos polos que vai estar em Hannover: o potencial de energias renováveis e oceânicas", diz o ministro da Economia e do Mar.

Costa Silva adianta que o Governo "está a receber muitas manifestações de interesse", e admite que, no futuro, "vamos ter ilhas artificiais, afastadas da costa, onde podemos ter projetos com eólicas".

Entre domingo e segunda-feira, o primeiro-ministro vai estar "na maior feira da indústria do mundo que conta, este ano, com Portugal como país-parceiro". António Costa vai reunir-se com o chanceler alemão, Olaf Scholz, e reunir-se com empresários portugueses.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG