"Dirigentes distritais que se opuseram a Rio devem pôr os lugares à disposição"

José Silva Peneda apela à união até às eleições legislativas.

PorJudith Menezes e Sousa com Cátia Carmo
© Diana Quintela/Global Imagens

José Silva Peneda, do PSD, defende que os dirigentes distritais que se opuseram a Rui Rio durante as eleições diretas do partido deviam demitir-se, mas só depois das legislativas porque, até lá, "é um momento de união".

"Aqueles dirigentes distritais que se opuseram a Rui Rio, perante os resultados, de uma forma séria e honesta devem pôr os seus lugares à disposição. Este é um momento de união, não de divisão", considera Silva Peneda em declarações à TSF.

Rui Rio foi reeleito este sábado presidente do PSD com 52,43% dos votos, numas eleições diretas que disputou com o eurodeputado Paulo Rangel, que alcançou 47,57% dos votos, foi anunciado.

Os resultados oficiais, mas ainda provisórios, foram anunciados na sede do PSD, em Lisboa, pelo presidente do Conselho de Jurisdição Nacional do partido, Paulo Colaço.

De acordo com o dirigente social-democrata, do total de 46.664 inscritos, votaram 35.991 militantes. Rio alcançou 18.604 votos e Rangel 16.879, havendo ainda 189 votos nulos e 319 votos em branco.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG