IL quer ouvir ministra da Agricultura no Parlamento. CDS pede demissão

Para a Iniciativa Liberal, este é o momento perfeito para Maria do Céu Antunes esclarecer, em público, as medidas para mitigar a seca.

PorTSF com Lusa
© José Carmo / Global Imagens

A Iniciativa Liberal (IL) exige explicações à ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, sobre as respostas à seca. O partido quer ouvir a ministra no Parlamento, na comissão parlamentar de agricultura. Para o deputado Rui Rocha é lamentável a forma como a ministra confrontou a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

"A ministra, em vez de apresentar as medidas que tem tomado, decide confrontar a CAP com o facto de a CAP não ter aconselhado o voto no PS nas eleições. Isso parece-nos francamente lamentável", explicou à TSF Rui Rocha.

Para o deputado da IL, este é o momento perfeito para Maria do Céu Antunes esclarecer, em público, as medidas para mitigar a seca.

"Não é a forma adequada de uma responsável ministerial responder a uma associação representativa do setor e acreditamos que seria o momento de a ministra apresentar explicações e não de responder com factos que têm a ver com o que a CAP entendeu fazer nas últimas eleições", acrescentou o deputado da Iniciativa Liberal.

Ouça as declarações de Rui Rocha à TSF

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Também esta quinta-feira à tarde, em comunicado, o presidente do CDS, Nuno Melo, exigiu a demissão da ministra da Agricultura pelas declarações sobre a CAP, que diz configurarem "a absoluta instrumentalização do Estado em favor do PS".

"As declarações da ministra da Agricultura configuram a absoluta instrumentalização do Estado em favor do PS, ou de quem é próximo ou apaniguado do PS, sendo o contrário motivo de perseguição, ou discriminação pela tutela", defendeu Nuno Melo, em comunicado. Instada hoje pelos jornalistas a responder a críticas dirigidas à tutela pelo secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), que disse ser "inexistente" a resposta do Governo para mitigar o impacto da seca no setor da produção e alimentação animal, a ministra devolveu a pergunta.

"É melhor perguntar porque é que durante a campanha eleitoral a própria CAP aconselhou os eleitores a não votar no Partido Socialista", disse a ministra.

Para o CDS-PP, "independentemente da manifesta falta de capacidade para a função, o que é facto é que com estas declarações, a ministra da Agricultura deixou de ter quaisquer condições de isenção, distanciamento e dimensão de Estado, para poder continuar a ocupar o cargo".

"Em consequência, o CDS reclama a imediata demissão da ministra Maria do Céu Antunes", declarou Nuno Melo.p>

O líder centrista e eurodeputado sublinhou que "um ministro do governo de Portugal é um ministro da República, não é um representante de qualquer partido político, menos pode decidir em função da filiação ou simpatia partidária".

Para Nuno Melo, "a seca em Portugal é um facto público, notório, extremo, que causa grave impacto na agricultura" e a CAP, "representando mais de metade dos agricultores do país, é pela sua importância e relevância, parceiro social e uma instituição fundamental do setor, reconhecida como tal em Portugal e no estrangeiro".

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG