João Soares diz que Costa Silva "não merecia" palavras de Medina

No programa da TSF, Não Alinhados, o ex-presidente da câmara de Lisboa referiu que Costa Silva "dá um contributo substantivo" ao Governo português.

PorPedro Cruz com Clara Maria Oliveira
© Reinaldo Rodrigues/Global Imagens (arquivo)

O ex-ministro da Cultura, João Soares, elogiou, esta segunda-feira, o ministro António Costa Silva, e defendeu que o responsável pela pasta da Economia e do Mar "não merecia" as palavras de Fernando Medina, que o corrigiu após ter revelado que o Governo preparava uma descida transversal do IRC.

"Quero exprimir a minha admiração profunda pelo ministro da Economia, António Costa Silva", começa por referir João Soares, admitindo que Costa Silva "talvez seja um pouco mais desajeitado do ponto de vista político-partidário", mas que "não merecia que se lhe fizesse uma cena destas em público, e sobretudo não merecia que isso o desvalorize".

Na opinião do também ex-presidente da câmara de Lisboa, o ministro da Economia e do Mar "dá um contributo muito substantivo, tal como dava o seu antecessor, Pedro Siza Vieira" ao Governo.

Ouça a opinião de João Soares no programa Não Alinhados

Your browser doesn’t support HTML5 audio

António Costa Silva "é um homem que é um grande especialista em tudo o que tem a ver com energia, gás e petróleo e também provou, na sua vida pessoal, e principalmente quando era jovem, que é um homem de carácter e de grande coragem".

O ministro da Economia, António Costa Silva, tinha revelado que o Governo prepara uma descida transversal do IRC como resposta à crise, mas o ministro das Finanças, Fernando Medina, corrigiu o responsável pela pasta da Economia rejeitando, no entanto, que o Governo esteja a falar a duas vozes.

"Não seria próprio nesta fase trazermos para fora da mesa da negociação aquilo que está a ser tratado na mesa de uma negociação complexa que envolve muitos parceiros. Na matéria do IRC, como em toda a matéria do acordo, o Governo tem uma voz. A voz que é definida coletivamente, a voz do primeiro-ministro e dos ministros que participam na negociação. Eu, pelo menos, irei aguardar pelo final da negociação para falar sobre o assunto", explicou Fernando Medina aos jornalistas.

O responsável pela pasta das Finanças considera que não é adequado antecipar posições nesta fase, admitindo, contudo, que estão a ser discutidas várias medidas, nomeadamente em matéria fiscal.

OUÇA NA ÍNTEGRA O PROGRAMA NÃO ALINHADOS

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG