Marques Mendes reconhece "efeito surpresa" nos nomes escolhidos por Montenegro

Antigo líder social-democrata fez uma visita ao congresso no Porto em que juntou a coerência à amizade pelo novo líder do PSD.

PorFrancisco Nascimento
© Pedro Correia / Global Imagens

O antigo líder do PSD Luís Marques Mendes elogiou, este sábado, os nomes escolhidos por Luís Montenegro para comporem a direção do PSD, assumindo-se até surpreendido com algumas das escolhas perante os jornalistas.

Em declarações à saída da Super Bock Arena, onde decorre o 40.º Congresso do PSD, Marques Mendes assinalou que "ninguém tem dúvidas" de que o PSD sai unido deste congresso e sublinhou que a demonstração disso mesmo está na lista apresentada esta tarde.

"Tem unidade, tem qualidade e teve um efeito surpresa grande, há vários nomes de que ninguém estava à espera", algo que destaca porque na política "o efeito surpresa é uma coisa positiva".

Paulo Rangel e Miguel Pinto Luz como vice-presidentes têm um efeito de "unidade, de surpresa e de qualidade, três ingredientes que em qualquer partido são muito importantes".

Questionado sobre a presença neste congresso, Marques Mendes assinala que o objetivo é manter a "coerência" depois de ter estado nos primeiros congressos de Passos Coelho e de Rio, pelo que "não podia faltar agora".

A estes fatores juntam-se a "solidariedade para com o partido" e a amizade com Luís Montenegro "de há muitos anos".

<strong>Conheça os nomes</strong>

O novo presidente do PSD anunciou que vai propor como primeiro vice-presidente o eurodeputado Paulo Rangel e o ex-candidato à liderança Miguel Pinto Luz.

Os restantes vices serão a ex-líder da JSD Margarida Balseiro Lopes, o antigo secretário de Estado António Leitão Amaro, o líder da distrital de Braga Paulo Cunha e a militante e jurista Inês Ramalho.

Carlos Moedas e Maria Luís Albuquerque como primeiros nomes ao Conselho Nacional foram outros dos anúncios, que passou ainda pela confirmação de Hugo Soares como secretário-geral.

Pedro Duarte irá coordenar o Conselho Estratégico Nacional (CEN), o ex-presidente da AICEP Pedro Reis o 'Movimento Acreditar', que vai preparar o programa eleitoral do partido. Carlos Coelho vai liderar a Academia de Formação e Pedro Alves irá coordenar, juntamente com o líder, a preparação das eleições autárquicas (todos com assento da Comissão Permanente, o núcleo duro da direção do partido).

José Matos Correia irá liderar o Conselho Nacional de Jurisdição e Miguel Albuquerque a Mesa do Congresso.

O 40.º Congresso do PSD, que decorre no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, termina no domingo com a eleição dos órgãos nacionais.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG