"Um gesto simbólico." Carlos Moedas cumpre primeira promessa eleitoral

O recém-eleito autarca de Lisboa cumpriu a promessa feita aos trabalhadores da higiene urbana do município e encontrou-se com estes logo no dia seguinte à vitória eleitoral.

PorRita Carvalho Pereira
© António Pedro Santos/Lusa

Carlos Moedas garante que não vai falhar no que prometeu aos lisboetas e fez questão de, no primeiro dia após a sua vitória eleitoral, cumprir logo uma das promessas feitas durante a campanha.

Num "gesto simbólico", o autarca eleito em Lisboa esteve, esta manhã, junto dos trabalhadores da higiene urbana do município, com quem tinha prometido encontrar-se de imediato, se ganhasse as eleições autárquicas, depois de sentir que estes estavam "abandonados", após ter ouvidos as queixas dos mesmos.

"É bom dar visibilidade a estes homens e mulheres que trabalham tanto para a higiene da cidade", afirmou Carlos Moedas.

O novo presidente da Câmara de Lisboa assegura que vai de imediato pôr em prática as promessas feitas em campanha, começando desde logo por encontrar "soluções de acesso à saúde para os lisboetas com mais de 65 anos que não têm médico de família".

"Não vamos falhar naquilo que prometemos aos lisboetas", declarou Moedas, que, questionado pelos jornalistas, voltou a mostrar disponibilidade para trabalhar "com todos os partidos" no executivo da Câmara de Lisboa.

"Conto com todos os partidos, conto com todos os vereadores, aliás foi desde a tradição de [Nuno] Krus Abecassis, em que tudo aquilo que são os projetos, tudo aquilo que são as minhas propostas serão trabalhadas com todos, trabalhadas com aqueles que hoje são eleitos", afirmou o presidente eleito pela coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa.

"Já recebi mensagens de vários [vereadores eleitos], de outras forças políticas, já os congratulei e agradeci, e penso que é isso, é trabalhar em conjunto, temos de deixar esta política da fricção e passarmos para uma política da construção das soluções, para os resultados", indicou o ex-comissário europeu, referindo que "a Comissão Europeia é talvez a melhor escola para trabalhar com pessoas de todas as forças políticas", comprometendo-se a fazer o mesmo em Lisboa como presidente da Câmara.

Sobre a tomada de posse na presidência da Câmara de Lisboa, Moedas adiantou que já teve "uma excelente conversa" com o seu antecessor, Fernando Medina, mas que ainda não há data para a passagem de testemunho.

"Vamos organizar tudo, tudo vai correr bem. Penso que estamos aqui todos com grande boa vontade dos dois lados, portanto, tudo isso vai acontecer nos dias que aí vêm, portanto, vamos fazer uma transição correta, genuína, para bem de Lisboa e dos lisboetas, que é aquilo que nós queremos", assegurou.

Nas eleições autárquicas de domingo, o social-democrata Carlos Moedas foi eleito presidente da Câmara de Lisboa, com 34,25% dos votos, conquistando a autarquia ao PS, que a liderou nos últimos 14 anos.

Carlos Moedas vai suceder na presidência da Câmara Municipal de Lisboa ao socialista Fernando Medina, que se recandidatou ao cargo na coligação Mais Lisboa (PS/Livre).

Segundo os resultados oficiais divulgados pelo Ministério da Administração Interna, a coligação Novos Tempos Lisboa (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança) conseguiu sete vereadores, com 34,25% dos votos (83.121 votos); a coligação Mais Lisboa obteve sete vereadores, com 33,3% (80.822 votos); a CDU (PCP/PEV) dois, com 10,52% (25.528 votos); e o Bloco de Esquerda (BE) conseguiu um mandato, com 6,21% (15.063).

Notícias atualizadas 13h39

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG