Ana Gomes volta ao ataque a Marcelo por ter sido "intermediário de Salgado"

À conversa com Isabel Soares, Ana Gomes volta a atacar o recandidato Marcelo Rebelo de Sousa com o caso Monte Branco e a ligação a Ricardo Salgado. As duas mulheres socialistas também disparam à extrema-direita.

Falaram de cultura, de educação, do papel das mulheres e de uma imprensa livre. Falaram também de Marcelo. Bem, falou Ana Gomes e para voltar ao ataque: "intermediário de Ricardo Salgado".

Na primeira de muitas conversas online que vai manter no decorrer da campanha, Ana Gomes está ciente das críticas que recebeu depois do frente a frente com Marcelo, mas considera que "isto é relevante". Em causa, o processo Monte Branco.

"Foi uma dessas revelações do caso Monte Branco, aliás já exposta na imprensa, que trouxe à luz do dia o facto de Marcelo Rebelo de Sousa ter sido, aparentemente, o intermediário por indicações do seu próximo Ricardo Salgado para ir buscar financiamento a Angola para um jornal em que na altura escrevia - o Sol,", sublinha Ana Gomes.

A candidata, que voltou a um dos temas que irritou Marcelo no debate na RTP, lembra que "quem veio a tornar-se acionista do Sol não foi outra pessoa senão o dirigente do BESA, Álvaro Sobrinho".

"Aqui está um exemplo que, com certeza, escapou à due diligence elementar para controlo de investimentos em Portugal, ainda por cima num setor tão vitalmente sensível para a democracia como é o setor da imprensa", realça a candidata antes de terminar a conversa com Isabel Soares que, sobre este assunto, nada disse.

"Sabemos como acaba"

Durante 45 minutos, foram vários os temas abordados e outros tantos elogios trocados, e enaltecidos os valores de Abril. Também por isso, a necessidade de atacar André Ventura e a extrema-direita.

"Não podemos ser ingénuos sobre quem está por detrás daquela força, além das questões do financiamento obscuro e altamente duvidoso, são ideólogos dos tempos do fascismo", destaca Ana Gomes complementada pela filha de um dos fundadores da democracia: "E óbvio e nós sabemos como começa e como acaba".

Isabel Soares que, de resto, destaca o facto de Ana Gomes ser uma mulher de esquerda a candidatar-se ao mais alto cargo da nação. E aí tem um recado para o PS: "A Ana é uma mulher frontal, corajosa e de esquerda e eu sou uma mulher de esquerda também e acho que o PS deveria ter uma candidatura. Estou ao seu lado porque não entendo a não-existência de uma candidatura do PS".

Recado enviado para quem quiser ouvir no Largo do Rato onde esta quinta-feira deverão receber outro: Manuel Alegre junta-se numa conversa, nestes mesmos moldes, com Ana Gomes.

Marcelo passa ao lado

Ao longo destes últimos dias, Marcelo Rebelo de Sousa tem estado sob mira de Ana Gomes pela prestação enquanto Presidente da República, mas esta quarta-feira quase podia ter estado mesmo na campanha da candidata.

Na inauguração do único mural da campanha, perto de Campo de Ourique, em Lisboa, o atual Chefe de Estado que já teve luz verde para poder sair de casa passou, tudo indica que sem querer, ao lado da candidata. Literalmente.

Em frente ao mural muito colorido e algo pop da autoria do artista José Albergaria, Marcelo passou ao lado de carro, sozinho e sem parar, ainda assim foi notado.

Também por lá passou, mas esse parou por breves segundos, Rui Tavares, fundador do Livre e apoiante da candidata. Ele que, de resto, também participa na conversa online que Ana Gomes vai ter esta quinta-feira às 18h00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de