António Ramalho reúne-se com partidos para tirar dúvidas sobre Novo Banco

Presidente do Novo Banco tem "consciência de que existem questões que ainda exigem esclarecimento" e enviou pedido para reunir com todas as bancadas parlamentares. PSD e CDS já reuniram, esquerda ainda sem datas para audiência.

O tema queima por estes dias de discussão de Orçamento do Estado, mas o presidente do Novo Banco está a mostrar abertura para esclarecer os deputados dos vários partidos sobre o que quiserem saber a respeito do Novo Banco e das auditorias realizadas. De resto, António Ramalho reuniu-se com o líder parlamentar do PSD, Adão Silva, nesta quinta-feira ao fim da tarde no parlamento e já tinha reunido com o CDS na terça-feira passada.

No pedido de reunião enviado aos partidos e a que a TSF teve acesso, a administração do Novo Banco reconhece que podem existir dúvidas da parte dos deputados e está disponível para responder-lhes em audiência privada.

"Infelizmente, a despeito do complexo sistema de governação existente no Novo Banco para os apoios públicos, apesar dos inúmeros mecanismos de controlo e após a realização de auditorias independentes, decididas no âmbito da legislação aprovada pela Assembleia da República, tem a administração do Novo Banco a consciência de que existem questões que ainda exigem esclarecimento", lê-se no pedido de reunião.

Notando que a administração está disponível para "responder a quaisquer dúvidas que ainda possam subsistir", a instituição alega ainda que também pretende "dar nota da relevância do Novo Banco no presente momento e no âmbito do programa de objetivos que lhe foram fixados pelo Estado Português e pela União Europeia até ao final de 2021".

Direita avança, esquerda espera

O primeiro partido a reunir com António Ramalho foi o CDS, na terça-feira, e em cima da mesa estiveram naturalmente as questões relativas ao Orçamento do Estado. Isso mesmo foi confirmado à TSF por fonte centrista, sem detalhar o teor concreto das reuniões.

Esta quinta-feira foi a vez de o líder parlamentar do PSD, Adão Silva, receber no gabinete do partido na Assembleia da República o presidente do Novo Banco, António Ramalho.

Ainda à direita, a Iniciativa Liberal confirma o pedido, mas nota que a reunião ainda não aconteceu. Já com o Chega, a TSF não conseguiu até ao momento confirmar se a reunião já aconteceu.

Do lado da esquerda, o PS atira o assunto para depois da discussão orçamental. A líder parlamentar socialista, Ana Catarina Mendes, confirma à TSF que, até a discussão estar terminada, não vai ser possível reunir com a administração do Novo Banco.

Dos restantes partidos à esquerda, também ainda não há agendamento feito, embora PAN, PEV e PCP confirmem à TSF ter recebido o pedido endereçado pela administração do Novo Banco.

Já o Bloco de Esquerda, partido que tem sido especialmente duro com o Novo Banco, tendo até uma linha vermelha relacionada com a instituição para viabilizar o OE2021, diz à TSF que "não existiu nem está agendada qualquer reunião entre o Bloco e a administração do Novo Banco".

"O Bloco não regista esse pedido, mas verificará a sua correspondência para garantir que não se trata de um lapso", diz a nota enviada à TSF.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de