"As chapeladas já não existem no PSD" mas pode haver "instrumentalização de militantes"

As declarações de David Justino surgem em vésperas das eleições diretas do PSD, durante o programa da TSF "Almoços Grátis".

O vice-presidente do PSD garante que "já não existem chapeladas no PSD", ou seja, já não é possível os militantes pagarem quotas em atraso de forma massiva ou pagarem quotas de outros militantes com o objetivo de comprar votos e manipular resultados eleitorais internos.

David Justino sublinha, no entanto, durante o programa da TSF "Almoços Grátis", que pode existir instrumentalização de um determinado tipo de militantes: "Pode haver a instrumentalização de militantes menos avisados ou menos atentos", garante.

Em março de 2019, o PSD alterou as regras do pagamento de quotas para evitar as denominadas "chapeladas" em atos eleitorais internos, como as diretas que se realizam este sábado.

Na altura, Rui Rio explicava que esta reforma traria "a transparência política que se pretende ao nível dos partidos".

"Pode haver uma quebra na receita, mas a democracia está em primeiro lugar", defendia Rui Rio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de