As faces de vencedores e derrotados das legislativas. Veja as imagens que ficam para a história

O Partido Socialista conquistou a maioria absoluta pela segunda vez, com 117 deputados. Já o PSD ficou em segundo lugar, com Rio a admitir que os resultados ficaram "substancialmente abaixo" das expectativas.

Com 41,6% e 117 deputados, o Partido Socialista conquistou pela segunda vez a maioria absoluta nas eleições legislativas. Em segundo lugar, ficou o PSD com 76 deputados e o Chega confirmou-se como terceira força política, elegendo 12 deputados.

O presidente do PSD admitiu sair do cargo perante uma maioria absoluta do PS, que se confirmou mais tarde, assumindo que o resultado eleitoral ficou "substancialmente abaixo" do esperado.

A IL surge como quarta força, com oito deputados. João Cotrim de Figueiredo prometeu que o grupo parlamentar da IL será uma "oposição firme, constante e implacável ao socialismo que há tanto tempo desgoverna Portugal".

A CDU elege seis deputados e o Bloco de Esquerda cinco. Jerónimo de Sousa fez um apelo à convergência dirigido ao PS. Por outro lado, Catarina Martins garantiu que o Bloco "assumirá todas as suas responsabilidades" com o compromisso com o qual se apresentou às eleições. "Com melhor ou pior resultado, cada deputado e cada deputada do BE, foi eleito com um mandato e respeitará naturalmente esse mandato", assegurou.

O PAN vê o seu grupo parlamentar reduzido a apenas uma deputada. O Livre também elege um mandato.

O CDS não elegeu nenhum deputado. Perante os "maus resultados", Francisco Rodrigues dos Santos demitiu-se da liderança do partido.

António Costa é primeiro-ministro desde novembro de 2015 e vai formar agora o seu terceiro Governo. E, caso complete a próxima legislatura, estará em funções até outubro de 2026, batendo até em longevidade o social-democrata Aníbal Cavaco Silva, que esteve em funções entre 06 de novembro de 1985 e 28 de outubro de 1995.

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS LEGISLATIVAS 2022

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de