"Até que enfim." Miguel Mattos Chaves satisfeito com saída de militantes do CDS

Dirigente escreve que vê com satisfação a saída dos que queriam tornar o CDS num partido "fofinho" para a esquerda dos costumes.

Miguel Mattos Chaves, vogal da Comissão Política Nacional do CDS, aplaude a saída de alguns militantes do partido e saúda a entrada dos que defendem um partido por pessoas e não por grupos globalistas e LGBT.

"Os que se juntam a nós. Igualmente alegre por ver que muitos que nunca foram filiados do CDS se estão a juntar a nós por perceberem que o partido é finalmente gerido por pessoas e não por grupos globalistas, LGBT, etc.", pode ler-se no post de Miguel Mattos Chaves no Facebook.

O dirigente escreve que vê com satistação a saída dos que queriam tornar o CDS num partido "fofinho" para a esquerda dos costumes e que admitiam a eutanásia e o aborto, sem razões médicas poderosas, e outras "causas" do Bloco de Esquerda e da Iniciativa Liberal.

"Estão a sair. Até que enfim", desabafa o vogal da Comissão Política Nacional do CDS.

Miguel Mattos Chaves revela ainda que fica satisfeito com a entrada no partido de católicos, "defensores dos valores da civilização ocidental, defensores da honra, seriedade e defensores da família como pedra angular da sociedade".

"Até que enfim esta clarificação das águas. Finalmente parece que Portugal voltará a ter o que já não tinha desde 1998, um partido a sério de direita, sem complexos estúpidos, na linha do Partido Popular espanhol, Partido Conservador americano e inglês, etc.", remata o vogal da Comissão Política Nacional do CDS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de