BE diz que "cheguização do PSD" coloca Governo dependente da esquerda

Catarina Martins diz que o "PS terá de negociar o que até agora pensou que podia recusar".

A coordenadora do BE, Catarina Martins, defendeu que, com a "'cheguização' do PSD" e "fracassada a ambição da maioria absoluta", o PS "só poderá governar se procurar um acordo com a esquerda".

"Quero mesmo agradecer ao dr. Rui Rio. Nos últimos anos, ninguém fez tanto em tão pouco tempo pelo reforço da posição da esquerda como o dr. Rui Rio. Ao escolher uma aliança com a extrema-direita xenófoba, o PSD isolou-se, mas também mostrou ao PS que, fracassada a ambição da maioria absoluta, só poderá governar se procurar um acordo com a esquerda", avisou Catarina Martins na reta final do seu discurso de encerramento da discussão do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

Na perspetiva da líder do BE, "nesse caminho à esquerda, sem amparo da direita, o PS terá de negociar o que até agora pensou que podia recusar", como "um SNS com a capacidade suficiente e carreiras profissionais em exclusividade, uma proteção social baseada no emprego e no combate à pobreza e o fim das leis laborais da troika".

"Não foi agora, mas será. Com a 'cheguização' do PSD, o PS terá sempre que fazer uma escolha essencial: ou procura a direita, mas essa direita já não existe, ou faz um contrato para políticas sociais que façam uma maioria que proteja Portugal", antecipou, dirigindo-se diretamente ao primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de