BE, PCP e PAN com propostas para acabar com vistos gold, Chega quer debate

Partidos à esquerda assinalam os efeitos do regime nos preços da habitação e desafiam o governo a aproveitar a oportunidade.

A porta entreabriu-se, esta manhã, pela mão do primeiro-ministro e a esquerda quer agora tentar que seja possível atravessá-la. O PCP e o BE vão apresentar propostas de alteração ao Orçamento do Estado (OE) para acabar com os vistos gold.

Em plena Web Summit, esta quarta-feira, António Costa avançou que o Governo está a ponderar a continuidade do regime para obter autorização de residência em Portugal e admitiu que pode não se justificar a sua manutenção. "Estamos a avaliar e depois tomaremos decisões", disse aos jornalistas.

Já esta tarde, a líder parlamentar do PCP, Paula Santos, defendeu que estes vistos servem apenas para alimentar a especulação imobiliária, pelo que o partido "já entregou" uma proposta pelo seu fim.

"Este regime só contribuiu para o aumento dos custos com a habitação" e "não traz benefícios para o nosso país", assinalou, desafiando o Governo a mostrar "essa vontade política" e a fazer uso da "boa oportunidade" que agora se apresenta.

Pelo BE, Catarina Martins trilha o mesmo caminho, mas a líder bloquista deixou críticas ao Governo por não ter inserido o fim destes vistos na proposta orçamental que apresentou. "Registo que o senhor primeiro-ministro todos os dias tem anunciado medidas que não pôs no OE", ironizou.

Os bloquistas deixam, tal como o PCP, o desafio ao Governo para que o PS aproveite a "boa opção" de aprovar a proposta do partido.

Os vistos gold, defendeu, "são não só uma forma de fazer do nosso país cúmplice de corrupção internacional, de regimes cleptocratas e de lavagem de dinheiro, mas também uma forma de aumentar - e muito - os preços da habitação no nosso país".

Chega acusa Governo de procurar desviar atenções

O Chega vai propor um debate na Assembleia da República para saber "com transparência, o que mudou para que já não seja preciso este regime", anunciou o líder André Ventura.

"Diminuiu o nível de investimento? Detetou-se mais fraude ou atividades criminais ligadas a isto? Então não é acabar com o regime, é aumentar a fiscalização, que foi o que o Chega propôs", assinalou em declarações aos jornalistas, antes de responder às próprias perguntas.

"O motivo para isto é este: o Governo quer desviar as atenções da inflação e do custo de vida. Nada melhor do que os vistos gold para pôr a esquerda a abrir garrafas de champanhe", explicou Ventura, que diz que este é dia exemplar "do que é a governação de António Costa".

PAN quer estudar impacto do programa

Pelo PAN, que também já fez dar entrada de uma proposta para acabar com os vistos gold, Inês de Sousa Real assinala a necessidade de um estudo "para perceber todo o impacto que existiu, quer económico, quer social, em torno deste programa".

A deputada única do partido assinala ter havido milionários abrangidos por este regime a "receberem benefícios que eram devidos a quem, de facto, deles carecesse no nosso país".

"Precisamos de perceber o que é que correu menos bem neste regime e que reposição é que pode ser feita, ou não, tendo em conta o forte impacto que teve, quer turístico, quer ambiental e económico, acima de tudo na habitação, que é um direito fundamental do nosso país", explicou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de