BE e PSD querem ouvir ministro e presidente da idD sobre contratações na Defesa

Partidos políticos querem esclarecimentos sobre as contratações que têm vindo a público.

O Bloco de Esquerda e o PSD querem ouvir o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e Marco Capitão Ferreira, presidente da idD Portugal, sobre as contratações na defesa. Os pedidos surgem depois de a TSF noticiar que José Miguel Fernandes se demitiu do cargo de presidente do Conselho de Administração do Arsenal do Alfeite em janeiro e, no mesmo mês, foi contratado para assessor na idD - Portugal Defence, a empresa holding do Arsenal do Alfeite.

"Lamentavelmente, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda tem constatado que este tem sido um modus operandi recorrente por parte do Ministério da Defesa, tendo sido reportados os casos de Ana Sofia Santos, ex-assessora do Ministro da Defesa Nacional João Gomes Cravinho e do ex-Ministro da Defesa Nacional Azeredo Lopes, então nomeada Diretora de Relações Internacionais na idD - Portugal Defence, bem como de Catarina Nunes, ex-assessora do Ministro da Defesa Nacional João Gomes Cravinho, nomeada para um cargo de "coordenação de um gabinete de acompanhamento das novas políticas de defesa da União Europeia" na idD - Portugal Defence, e que eventualmente foi nomeada vogal da holding", pode ler-se no documento com o pedido do BE, que já deu entrada no Parlamento.

Já o PSD quer ouvir Marco Capitão Ferreira porque considera que as sucessivas notícias que dão nota de nomeações e indigitações para cargos na idD Portugal têm manchado a imagem da empresa holding do Arsenal do Alfeite para o público.

"Sucede que, embora esta reestruturação tivesse por objetivo promover a realização do potencial das empresas com participações sociais do Estado português e geridas pela idD, casos como o da Arsenal do Alfeite S.A. têm vindo a ilustrar, com três Conselhos de Administração nos últimos dois anos e a falta de investimento crónico nas suas infraestruturas, que o trabalho que tem sido desenvolvido não se tem revelado minimamente satisfatório", acrescenta a nota dos social-democratas.

Esta não é a primeira vez que as contratações na área das indústrias da defesa chegam às notícias. Em fevereiro de 2021, a TSF dava conta de que a idD tinha recrutado, "pela segunda vez num ano, em gabinete ministerial", seguindo uma notícia do Diário de Notícias: "Porta giratória" do governo para as empresas marcam escolhas de Cravinho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de