BE propõe capitalização direta pela banca no Novo Banco sem intervenção do Fundo de Resolução

Deputada e dirigente do BE escusou-se a esclarecer se esta ou não é uma condição essencial para o seu partido viabilizar o Orçamento do Estado para 2021.

O Bloco de Esquerda (BE) propôs ao Governo que se houver necessidade de recapitalizar o Novo Banco isso seja feito diretamente pelos restantes bancos, sem intervenção do Fundo de Resolução, anunciou a deputada Mariana Mortágua esta sexta-feira.

A deputada e dirigente do BE escusou-se a esclarecer se esta ou não é uma condição essencial para o seu partido viabilizar o Orçamento do Estado para 2021.

Em conferência de imprensa, na sede do BE, em Lisboa, Mariana Mortágua argumentou que qualquer transferência feita através do Fundo de Resolução, mesmo sem recurso a novo empréstimo do Estado, "entra sempre para o défice" e "beneficia sempre de uma garantia pública".

"Se este é um problema entre bancos, como nos têm dito, então ele tem de ser resolvido entre bancos, sem colocar o Fundo de Resolução e, portanto, os contribuintes a intermediar e a garantir esta capitalização", defendeu.

Questionada se opção poderia levar os outros bancos a ficarem acionistas do Novo Banco, Mariana Mortágua respondeu: "Essa é uma das possibilidades".

A deputada e dirigente do BE alegou que "a Lone Star está a fazer uma gestão abusiva de um contrato, para não dizer fraudulenta" do Novo Banco e considerou que a proposta de "uma capitalização direta" pela banca "vai ao encontro do espírito da proposta feita pelo Governo quando diz que este é um problema que deve ser resolvido entre bancos".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de