BE quer "reabertura imediata" de centros de apoio a pessoas em situação de sem-abrigo

Partido revela ainda que também estará a ser planeado o fecho da Casa do Lago no final de março de 2022.

O Bloco de Esquerda exigiu, esta quarta-feira, a "reabertura imediata dos centros de emergência de acolhimento a pessoas sem-abrigo" cujo encerramento foi anunciado pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas.

A TSF confirmou que os centros de alojamento de emergência municipal (CAEM) Pousada da Juventude, em Moscavide, e a Casa dos Direitos Sociais, em Marvila, dois dos quatro centros de acolhimento de emergência que abriram durante a pandemia em Lisboa, vão ser encerrados por falta de "condições dignas", como explicou Carlos Moedas.

Os bloquistas acrescentam ainda ter chegado à sua vereadora, Beatriz Gomes Dias, "informações de que estará também em preparação o fecho da Casa do Lago - um centro que acolhe apenas mulheres - no final de março de 2022", estrutura aberta durante o mandato do anterior vereador bloquista, Manuel Grilo.

Sobre a justificação de Carlos Moedas, de que os centros não têm condições, o BE diz que tal é "manifestamente falso" e que estes foram visitados e elogiados "por diversas entidades nacionais e internacionais, entre elas o Senhor Presidente da República", acrescentam em comunicado.

O BE acrescenta saber que "durante as últimas semanas, por determinação do executivo, foi recusada a admissão de pessoas sem-abrigo nos centros existentes" e diz-se ainda surpreendido pela decisão de encerramento, assinalando que foi aprovada uma moção, apresentada pelo partido, para que os quatro centros se mantivessem abertos "durante o período de inverno e enquanto perdurarem os efeitos da crise social provocada pela Covid-19".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de