Bloco de Esquerda confirma chumbo no Orçamento do Estado para 2021

Partido mantém voto contra no Orçamento e acusa o governo de manter "postura intransigente em matérias centrais".

Sem grande surpresas, o Bloco de Esquerda vai votar contra o Orçamento do Estado para 2021.

De acordo com a resolução da Mesa Nacional do partido a que a TSF teve acesso, lê-se que "o processo parlamentar não melhorou a proposta de Orçamento em termos que permitam ao Bloco a sua viabilização".

O antigo parceiro do governo assina assim oficialmente o fim da relação com o governo socialista, mantendo o chumbo na votação final global, mas não sem deixar algumas acusações.

Começando por sublinhar que "Portugal foi um dos países da União Europeia que menos investiu em percentagem do PIB na resposta à crise pandémica", a Mesa Nacional do Bloco nota que "essa falta de resposta agrava-se com o Orçamento do Estado para 2021".

E daí parte para as acusações: "o governo manteve uma postura intransigente em matérias centrais, insistindo numa resposta de mínimos que é desajustada às circunstâncias de crise pandémica, económica e social que o país atravessa. Um orçamento de continuidade não responde a uma situação excecional".

Lembrando que o grupo parlamentar bloquista apresentou "apenas 12 propostas de alteração" para a especialidade relacionadas com a proteção do emprego, com o combate à pobreza, com o reforço do SNS e ainda com o objetivo de "impedir novas perdas públicas com o Novo Banco", a nota aponta ao PS que se "apoiou na direita para rejeitar todas essas propostas, sem que em paralelo tivessem sido aprovadas outras propostas que garantam uma resposta robusta à crise".

Fica assim consolidado o "divórcio" com este chumbo pré-anunciado, rompendo com as viabilizações dos últimos anos desde que António Costa assumiu o governo.

TUDO SOBRE O ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2021

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de