Bloqueio no Orçamento. Costa garante que União Europeia não tem plano B

O chefe de Governo português mostrou-se "disponível para ficar mais uns dias" em Bruxelas para garantir o acordo.

O primeiro-ministro português, António Costa, garantiu esta terça-feira não existir um plano B ao bloqueio na aprovação do orçamento da União Europeia (UE) e do novo Fundo de Recuperação, instando ao fim do braço de ferro da Hungria e Polónia.

"Não há plano B que não seja aprovar o próximo Quadro Financeiro Plurianual e o Mecanismo de Recuperação e Resiliência no próximo Conselho Europeu de dia 10 e 11 de dezembro", declarou António Costa, falando em conferência de imprensa, em Bruxelas.

Em declarações prestadas após um encontro com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no quadro dos encontros preparatórios da presidência portuguesa da UE, o chefe de Governo português mostrou-se, inclusive, "disponível para ficar mais uns dias" em Bruxelas, em dezembro, para garantir esse acordo.

"Dure o que durar, tem de se concluir esse processo [nessa reunião presencial] porque a Europa não pode esperar", vincou António Costa.

Avisando que "ninguém pode contar com a possibilidade de reabrir o que está acordado", relativamente ao orçamento da UE e ao novo Fundo de Recuperação pós-crise da Covid-19, o primeiro-ministro exortou "todos os envolvidos neste braço de ferro" a retrocederem, nomeadamente Hungria e Polónia.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de