Candidato do Chega diz que Beja tem de optar entre "mudar" ou "continuar estagnada"

Com um vereador do Chega na autarquia, "não vai ser o arranjinho a que eles estão habituados", avisou.

O candidato do Chega à presidência da Câmara de Beja avisou esta quarta-feira que o concelho terá que "optar" entre "mudar" ou "continuar estagnado e esquecido" pelo Governo, acusando PS, PCP e PSD de serem "os culpados do esquecimento".

Nas eleições autárquicas de domingo, "Beja vai ter que optar por uma coisa: ou vai mudar realmente ou vai continuar estagnada, parada no tempo, esquecida pelo poder central", disse Pedro Pinto, num comício na cidade, com o líder do partido, André Ventura.

"PS, PCP e PSD são o poder central, são os culpados do esquecimento de 47 anos" do Governo em relação ao distrito de Beja, justificou, referindo que "só um vereador do Chega fará a diferença nesta câmara municipal".

Com um vereador do Chega na autarquia, "não vai ser o arranjinho a que eles estão habituados", avisou, acusando PS, CDU e PSD de estarem "à espera de fazer o arranjinho" ou "se calhar até já está feito".

Segundo Pedro Pinto, o atual presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, recandidato ao cargo pelo PS, "andou três anos e meio esquecido do alcatrão", o qual "acordou a seis meses das eleições".

Por outro lado, continuou, Paulo Arsénio "não tem força nenhuma no poder central, no Governo do PS", "não nasceu para ser político" e "para ser político falta-lhe muita coisa".

Já o candidato da CDU, Vítor Picado, tem a "cassete do costume" da coligação liderado pelo PCP e Os Verdes, ou seja, "'queremos a mudança, os trabalhadores, os trabalhadores'", e "diz que o governo central esquece Beja", afirmou Pedro Pinto.

"Esquece é verdade. E quem é que aprovou os últimos seis orçamentos do [Governo] PS? Foi o PCP. É isto que tem de se dizer. Tem que se dizer ao PCP que são cúmplices desta governação socialista", afirmou.

"Depois vem o candidato Nuno Paulo Ferro daquela coligação ["Beja Consegue"] que tem cinco partidos políticos [PSD/CDS-PP/ PPM/Iniciativa Liberal/Aliança], mais do que carruagens tem o comboio que chega a Beja", ironizou.

Pedro Pinto acusou os candidatos da "Beja Consegue" de terem "vergonha de dizer" de que partidos são, referindo que a coligação não tem os símbolos das forças partidárias que a compõem na sede de campanha.

O candidato perguntou onde "está o aproveitamento do aeroporto de Beja", no qual o antigo primeiro-ministro socialista "José Sócrates gastou milhões" e que "o Governo central esquece".

"E chegar a autoestrada [26] a Beja que não chega?", questionou, referindo que o concelho "nunca" vai conseguir atrair desenvolvimento e empresas "sem uma autoestrada, sem o aeroporto a funcionar e com as estradas miseráveis que tem o distrito de Beja".

Nas autárquicas de domingo, além de Pedro Pinto, concorrem Nuno Palma Ferro (PSD/CDS-PP/PPM/Iniciativa Liberal/Aliança), Paulo Arsénio (PS), Vítor Picado (CDU) e Gonçalo Monteiro (Bloco de Esquerda).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de